O Ballet Nacional de Cuba

O Ballet Nacional de Cuba foi criado em 1948, pela primeira bailarina absoluta de Cuba Alicia Alonso. Na mesma época ela também fundou a Escola Nacional de Ballet, inicialmente como centros privados, de cultura e arte.

Após a revolução socialista de Fidel Castro, em 1959, ambos foram estatizados recebendo total apoio do novo governo e abrindo suas portas para os grandes talentos que surgiriam na Ilha, vindos das mais remotas Províncias.

A partir dos anos 60, toda criança que manifestasse real talento para a dança, especialmente o ballet, poderia se candidatar a uma vaga na Escola Nacional de Ballet de Cuba (hoje chamada "Fernando Alonso"), onde são formados os grandes bailarinos de Cuba. Ao completar os estudos esses alunos são avaliados pela rigorosa seleção do BNC, onde apenas os melhores serão admitidos.

Os demais, mesmo que não venham a integrar seus quadros, são encaminhados para outras companhias, pois há muitas delas em toda a Ilha. Lá, os jovens que estudam ballet, sempre terão emprego, pela diversidade de ofertas no segmento da dança.

Máxima expressão da escola cubana de ballet, o BNC figura hoje entre as maiores companhias de ballet clássico do mundo. O rigor artístico e técnico de seus bailarinos e a concepção estética de seus coreógrafos permitem ao BNC ocupar um lugar de destaque entre as grandes instituições do gênero no cenário internacional. Montagens completas de ballets de repertório como “Giselle”, “O Lago dos Cisnes”, “Coppélia”, “Dom Quixote” e outras, em nada deixam a desejar às demais companhias do Mundo.

Até hoje o BNC é dirigido pela sua fundadora Alicia Alonso. Nascida em 1920. Atualmente com sérios problemas de visão e locomoção pela idade avançada,ela apresenta um vigor espantoso. A grande dama do ballet cubano, que até os 70 anos de idade se apresentou pela companhia, ainda hoje trabalha nas montagens dos espetáculos. Ao excursionar pelos grandes centros mundiais, o BCN tem sempre Alicia Alonso em seu comando.

Anualmente o BNC monta e apresenta os principais ballets de repertório, sempre a preços populares, para os habitantes de Havana, que invariavelmente lotam as platéias. Ao mesmo tempo, a companhia não deixa de prestigiar as obras de autores cubanos, permitindo uma constante renovação do fluxo criativo entre os artistas locais, o que faz de Cuba um centro de pujança artística.

O BNC além de uma grande companhia de ballet, se presta ao importante trabalho de moldar e formar talentos, com suas Cátedras de dança para estrangeiros, com ampla abrangência disciplinar, aplicada a grupos ou individualmente.

A Perfil Produções, através do Pas de Cuba, trouxe ao Brasil pela primeira vez em 2009, um curso intensivo de inverno, nos moldes das Cátedras do BNC. Uma oportunidade única de conviver, com grandes mestres do ballet cubano, aperfeiçoando e desenvolvendo a técnica clássica.