Metodologia Cubana

Considerada uma das mais completas do mundo, a Escola Cubana de Ballet é o resultado de um profundo estudo das características das demais Escolas existentes, por seus fundadores os irmãos Fernando e Alberto Alonso. Sintetizando este trabalho podemos dizer em linhas gerais que o método cubano reúne a agilidade dos pés, da Escola italiana; a sobriedade e o trabalho dos braços da Escola inglesa, a elegância da francesa e o virtuosismo da Russa, para mencionar apenas as mais relevantes. Na década de 60 os irmãos Alonso começaram a desenvolver o Método, que enriquecido com a dramaticidade e musicalidade inerente aos latinos, veio a ser reconhecido mundialmente como um dos mais virtuosos. Com os elementos naturais da cultura de seu povo, através de determinados movimentos de quadris e braços comuns às danças populares do Caribe, eles adaptaram os movimentos clássicos, para o físico dos bailarinos latinos, muito diferente do físico europeu mais longilíneo. Era a Metodologia Cubana de ensinar o ballet clássico. E foi exatamente a então esposa de Fernando Alonso, Bailarina Absoluta de Cuba, Alicia Alonso a mais perfeita tradução da Escola Cubana de Ballet. Depois dela, gerações e gerações de grandes nomes começaram a surgir naquela distante Ilha caribenha, encantando público e crítica do mundo todo. Um povo naturalmente dançante (o caribenho em geral e os cubanos em particular), encontrou nessa Metodologia a oportunidade de aprender o clássico com uma desenvoltura própria. Embora a dança fosse um forte componente da cultura nacional, não havia uma tradição de dança cênica na Ilha. Através da metodologia cubana, os bailarinos chamam a atenção pelo jeito próprio de mostrar o tradicional clássico, principalmente no uso diferenciado da musicalidade, da interpretação e da técnica. Giros e saltos ganham maior velocidade e amplitude, graças a um treinamento específico. O tradicionalismo da dança clássica é mantido, mas com adaptações para o físico dos bailarinos latinos. O resultado disso é hoje difundido mundialmente, especialmente na América Latina, como é o caso do Brasil, onde já existem muitos professores e escolas especializados neste método de ensino. Pode-se dizer que Alicia e os irmãos Alonso criaram uma escola Latino-americana de Ballet! A importância da criação da metodologia cubana pode ser medida por uma única referência: Até a década de 60, Cuba não possuía companhias de ballet e hoje abriga uma das maiores e mais respeitadas do mundo: o Ballet Nacional de Cuba (BNC).

Texto extraído do trabalho acadêmico que deu origem ao livro "Sapatilhas da Revolução - O legado de Alicia Alonso ao ballet cubano", autoria de Paloma Faria Quintas; Paula Boracini: Puc-Campinas 2007.

Todos os direitos reservados.

A reprodução parcial ou total deste conteúdo requer citação da fonte.